Cresce o percentual de famílias gaúchas endividadas em junho


A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) referente o mês de junho indica uma ampliação no percentual de famílias endividadas no Rio Grande do Sul. O índice chegou a 70,6%, contra 61,2% observados no mesmo período do ano passado. Em relação a maio passado (71,1%), houve uma pequena redução. Os dados da PEIC divulgada nesta segunda-feira (3) pela Fecomércio-RS evidenciam que a expansão do indicador está relacionada ao endividamento por necessidade, em virtude das restrições existentes no cenário atual. A pesquisa pode ser acessada aqui .
"Para os próximos meses, a queda da inflação e a redução da taxa básica de juros podem contribuir para aliviar o quadro de endividamento e inadimplência", destaca o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.
O levantamento indica que a parcela da renda comprometida com dívidas em junho, na média em 12 meses, foi de 33,1%, levemente superior ao mês de maio/2017 (32,9%).  Já o tempo de comprometimento da dívida no período de 12 meses praticamente não se alterou, ficando em 7,9 meses. O cartão de crédito ainda é o principal meio de dívida dos gaúchos, apontado por 84,0% dos entrevistados, seguido por carnês (24,8%), financiamento de veículos (21,1%) e crédito pessoal (12,6%).
Apesar da permanência das dificuldades relacionadas ao emprego e à renda, a redução das taxas de juros deve começar a ser sentida pelos consumidores, reduzindo um pouco a pressão sobre a inadimplência. Porém, o percentual de famílias com contas em atraso continuou crescendo, saindo de um índice de 23,0% em junho/2016 para 30,9% em junho/2017.
A pesquisa revela ainda que o percentual de gaúchos que não terão condições de honrar suas dívidas vencidas no prazo de 30 dias teve alta em junho (9,6%) na comparação com junho/2016 (9,1%).

Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter