ELEIÇÕES: Indícios de irregularidade crescem durante campanha; desvios podem ultrapassar R$1 bilhão


Informações do Tribunal de Contas da União (TCU) mostram que o volume de possíveis irregularidades nas receitas e despesas eleitorais aumentou consideravelmente durante as Eleições Municipais de 2016. O total de desvios pode chegar a um bilhão e 410 milhões de reais, o que representa quase metade do total arrecadado por candidatos e partidos, que juntaram dois bilhões e 227 milhões de reais.
 
Algumas irregularidades se destacaram na análise dos dados do TCU, feita pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foi o caso de uma pessoa física beneficiária do Bolsa Família que doou 75 milhões de reais para a campanha e de uma empresa cujo sócio também é beneficiário do programa, e que prestou serviço no valor de 3 milhões e 570 mil reais.  Além disso, o número de doadores falecidos subiu para 290. 
 
As informações são resultados de um trabalho inédito de cruzamento de dados feito pelo Tribunal Superior Eleitoral e diversos órgãos públicos, para fiscalizar a prestação de contas dos candidatos e impedir crimes eleitorais no período de campanha.
 
Como se tratam apenas de indícios de irregularidades, ainda não devidamente apurados, os nomes dos doadores e eventuais detalhamentos das informações não serão divulgados pela Justiça Eleitoral.
 

Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter