Programa de Ensino de Solos e Água na Escola é desencadeado no Noroeste Gaúcho


Estratégias e os próximos passos do Programa de Apoio ao Ensino dos Solos e da Água na Escola, vinculado ao Programa Estadual de Conservação do Solo e da Água "Conservar para Produzir Melhor", foi pauta de reunião nesta sexta-feira (07/10), entre representantes da Emater/RS-Ascar, da 14ª, da 17ª e da 32ª Coordenadorias Regionais de Educação - que juntas contemplam 44 municípios, no total -  e de instituições de ensino superior da região. O grupo reuniu-se na Escola Edi Tereza Flores Lippert, de Santo Ângelo. 
A coordenadora da 14ª CRE, de Santo Ângelo, Tânia Santiago acolheu os participantes e destacou que apesar das dificuldades, o trabalho na área de educação tem sido intenso na região. "O tema solos e água é muito importante e precisamos qualificar o conhecimento nestas áreas", afirmou.
O assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, na área de Manejo de Recursos Naturais, Fernando Dornelles Fagundes, lembrou os problemas enfrentados em relação aos solos e as águas e a importância de estender a discussão para jovens estudantes. Também reiterou que a execução do programa resgata o trabalho de manejo e conservação dos solos no Estado, com o engajamento de diversas entidades, entre elas, a participação das escolas que é fundamental para a sensibilização de diferentes gerações em relação ao tema e para que práticas conservacionistas sejam realizadas de forma consciente e abrangente. O Programa de Ensino de Solos e Água na Escola é coordenado pela Secretaria Estadual de Educação, com apoio da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Emater/RS-Ascar, Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (FAMURS) e universidades.
Estratégias para o Ensino de Solos e Água foram apresentadas pela assistente técnica estadual da Emater/RS-Ascar, na área social, Clarice Bock. Metodologias como exibição de vídeos, experimentos, troca de experiências, visitas, capacitações, exposições foram discutidas. Em um dos comparativos feitos por Clarice, "os solos são como a pele da Terra. E, assim como a nossa pele, não podemos viver sem eles. Os solos nos acolhem do início ao final da vida. São parte de nós, assim como nós somos parte dos solos. E como a nossa pele é difícil de perceber, mas é fácil de descuidar".
Entre as motivações de falar sobre solos nas escolas, seja do campo ou da cidade, Clarice lembrou que aspectos imprescindíveis como a alimentação, a roupa que vestimos e a casa onde moramos estão diretamente ligados ao solo, de onde vem a matéria-prima. "A maior parte do nosso alimento vem das plantas que crescem e se desenvolvem neles. O oxigênio que respiramos é em grande parte produzido pelas plantas que neles vivem. A água que bebemos é filtrada pelos solos e está em sua maior parte armazenada neles. E praticamente tudo o que construímos é construído nos solos e com eles", destacou em sua apresentação.
Ao final do encontro, a assistente técnica regional da Emater/RS-Ascar, na área social, Lisete Primaz, auxiliou na organização de encaminhamentos dos próximos passos, a partir de sugestões apresentadas pelos presentes, sendo que projetos de ensino nas áreas de água e solos devem ser realizados em diferentes pontos da região.

Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter