Chamada Pública da Sustentabilidade beneficia 200 famílias rurais de Santa Rosa


O primeiro encontro de uma rodada de seminários de avaliação do Programa de Promoção da Agricultura Familiar Sustentável, conhecido como Chamada Pública da Sustentabilidade, foi marcado pelo resgate e celebração dos resultados do trabalho realizado nos últimos três anos junto a 200 famílias, em 30 comunidades rurais de Santa Rosa, contemplando ações de assistência técnica e social continuada e gratuita nas propriedades e nas comunidades, executadas pela Emater/RS-Ascar, com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Nesta quinta-feira (28/07) participaram do encontro de avaliação, na comunidade de Lajeado Reginaldo, em torno de 50 famílias das comunidades de Bela União, Lajeado Capim, Lajeado Reginaldo, Lajeado Assombrado, Lajeado Pessegueiro, Linha Faxinal e Lajeado Paulino.
Estiveram presentes diversas lideranças e parceiros, como o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e presidente do 32º Hortigranjeiros, Nelson Della Valli, vice-prefeito de Santa Rosa, Luís Antônio Benvegnú, secretário Municipal de Agropecuária e Infraestrutura, José Miguel Chagas, diretor de Agropecuária e Infraestrutura, Aldir Mallmann, presidente do Conselho Municipal de Agricultura e Pecuária, Sílvio Roberto Wayer, presidente da comunidade de Lajeado Reginaldo, Jaime Luís Weber, e a presidente do Clube de Mães, Delci Maria Sulzbach.
O chefe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Celso Fanfa, destacou a rede de parcerias formada para que o trabalho fosse executado, levando em conta toda sua complexidade e importância, como o Conselho Municipal Agropecuário, a Administração Municipal, através da Secretaria de Agropecuária e Infraestrutura, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, cooperativas Cotrirosa e Coopermil, agentes de crédito, entre outros. "Hoje é emocionante rever os resultados desse trabalho realizado durante três anos e saber que alguma coisa mudou na vida das pessoas, além de perceber que muitas ações transcendem as propriedades das famílias beneficiadas e refletem também nas comunidades", comentou Fanfa.
O engenheiro agrônomo Claudemir Ames, que conduziu a apresentação dos resultados do trabalho, acompanhado do médico veterinário Guilherme Dahmer, destacou a continuidade do trabalho de Assistência Técnica e Extensão Rural Social (Aters) oferecido de forma gratuita pela Emater/RS-Ascar. "A Chamada Pública da Sustentabilidade certamente foi uma ferramenta importante para viabilizar diferentes ações nos últimos três anos, agora seguiremos o trabalho nos aproveitando de outras metodologias e políticas públicas e estamos à disposição das famílias assistidas", comentou.
As famílias das comunidades presentes neste encontro sugeriram a continuidade e intensificação no trabalho em relação ao resgate e produção para autoconsumo, incentivo à agroindustrialização, uso de caldas no manejo de pragas e doenças, orientação para redução do uso de agrotóxicos, alternativas para melhorar aspectos reprodutivos do rebanho leiteiro, produção e comercialização do leite e formação de grupos de inseminação.
Na parte da tarde, participaram de palestra sobre uso, manejo e conservação do solo e da água, conduzida pelo assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, engenheiro agrônomo Fernando Dornelles Fagundes.

O que foi feito através da Chamada Pública da Sustentabilidade
Em um primeiro momento, os 200 beneficiários de Santa Rosa traçaram em um plano socioprodutivo, projetos e sonhos para suas propriedades e famílias. Nos passos traçados para atingir os objetivos, contaram com a assistência técnica e social da Emater/RS-Ascar. Também foram feitos diagnósticos para o levantamento das demandas comunitárias, que resultaram em orientações técnicas compartilhadas em atividades coletivas. Ao longo dos três anos de execução da Chamada Pública da Sustentabilidade, foram realizados, no total, 2.400 visitas às propriedades, 30 oficinas, 30 dias de campo, 20 seminários e 30 intercâmbios de conhecimento, além de elaborados 312 cadastros ambientais rurais de 183 produtores beneficiários do programa.
As atividades de organização e estruturação socioprodutiva das propriedades, considerando a diversificação da produção e da renda, bem como a segurança alimentar e nutricional das famílias, contemplaram ações nas áreas de produção de alimentos de qualidade para autoconsumo e para comercialização; práticas de análise, correção e conservação do solo, como demarcação de terraços, recomendação de adubação e aplicação de calcário; elaboração de projetos e implantação de sistemas de irrigação; assessoramento a agroindústrias familiares; estímulo à produção e certificação de alimentos orgânicos; melhoria das instalações e do ambiente de trabalho, como em salas de ordenha; implantação de pastagens perenes; prevenção e controle de mastite; manejo de pecuária de corte; orientações para a produção e comercialização de pescado; alternativas para redução do uso de agrotóxicos; aproveitamento e uso de plantas bioativas; poda e preparo de caldas para manejo de frutíferas; tecnologias de manejo de hortas e pomares; propostas de artesanato e embelezamento de arredores, entre outros.
Também houve a potencialização do acesso a mercados locais e regionais, institucionais e diferenciados e articulação e implementação de políticas públicas para a agricultura familiar. Em relação ao acesso ao crédito rural, por meio de políticas como o PRONAF, FEAPER e créditos especiais, houve incentivo o uso responsável do crédito e foram elaborados 339 projetos de crédito, somando um montante de R$ 10.279.376,00.
O roteiro dos seminários de avaliação e encerramento da Chamada Pública da Sustentabilidade em Santa Rosa segue na comunidade de Treze de Maio, no dia 04/08; em Linha Boa Vista, dia 11/08, e na localidade de Candeia Baixa, no dia 18/08. Os encontros iniciam-se sempre às 9h30.

Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter