Índice de óbitos no trânsito caiu 20% em cinco anos no RS


De 2010 a 2015, o índice efetivo de óbitos no trânsito caiu de 20 para 16 mortes a cada 100 mil habitantes no Rio Grande do Sul, uma redução de 20%. Os dados foram apresentados em evento de balanço dos cinco anos da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, na tarde desta terça-feira (10) no Palácio Piratini, com a presença do governador José Ivo Sartori. No mesmo evento, foi assinado o Termo de Adesão à nova composição do Comitê de Mobilização Estadual de Segurança no Trânsito, que vai coordenar e integrar as ações da Década entre os órgãos do Estado e outros setores da sociedade.

No ano de 2010, aconteceram 1.948 acidentes com morte no Rio Grande do Sul, resultando em 2.190 vítimas. Em 2015, foram 1.735 mortos em 1.531 acidentes fatais.  A redução de 20% dos acidentes fatais e mortes no trânsito aconteceu a despeito do crescimento da frota, da população e do número de habilitados no Estado. No período, a frota cresceu 32% (1,5 milhão de veículos), enquanto a população cresceu em torno de 2% (190 mil habitantes) e o número de habilitados, 19% (750 mil condutores).

Redução de 36% em relação à tendência

A meta da ONU, de redução de 50% das vítimas de trânsito, leva em conta a previsão crescente de óbitos se nenhuma ação fosse adotada naquele cenário. Calculada com base em projeções dos anos anteriores, o RS poderia ter 2.707 mortes no ano de 2015 e 3.224 em 2020. Para a metade da Década, a meta do RS era diminuir em 31% a acidentalidade. Com diversas ações de educação, prevenção e maior efetividade da fiscalização e da penalização dos infratores (redução da sensação de impunidade), o Estado conseguiu ultrapassar a meta, reduzindo 36% em relação à tendência, preservando 972 vidas.

291 vidas poupadas

A maior redução de acidentes e mortes no trânsito aconteceu no ano de 2015. De 1.825 acidentes com 2026 mortes em 2014, o RS passou a 1.531 acidentes com 1.735 mortes. Foram 14,4% menos mortes e 16,1% menos acidentes fatais em relação a 2014.  Esse percentual representou 291 vidas salvas no trânsito no período. "Mas não é uma tarefa fácil contabilizar esses números", explica o diretor-geral do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski. "Pelo simples fato que não são números: são vidas".

Szinvelski lembrou algumas ações realizadas: "Somos o único Estado que tem simuladores em todos os CFCs e temos qualificado cada vez mais nosso processo de habilitação. Aumentamos em 50% as abordagens da Balada Segura e em 57% os processos de suspensão desde 2011. Essas são apenas alguns dos aspectos que influenciaram no resultado.

Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter