Caso Odilaine - Prorrogação do inquérito termina no dia 19 de março, segundo o TJRS


Um menino de 11 anos foi morto alguns meses após ter ido ao Fórum de Três Passos reclamar dos insultos da madrasta e da falta de interesse do pai. Quatro anos antes, sua mãe foi encontrada morta na clínica do marido 72 horas antes de assinar o divórcio.

No caso do menino Bernardo, o crime foi esclarecido pela polícia 10 dias depois e os acusados deverão ir a julgamento. Já a morte de sua mãe, Odilaine Uglione, voltou a ser investigada a pedido do Ministério Público e está perto de ser elucidada.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul - TJRS, a decisão de dezembro autorizou a prorrogação do inquérito por 60 dias, impreterivelmente, a partir de 19 de janeiro. Portanto, a data final é 19 de março.

Entenda o Caso Odilaine
Conforme a polícia, Odilaine teria cometido suicídio dentro do consultório do pai de Bernardo, Leandro Boldrini, no dia 10 de fevereiro de 2010. No inquérito policial, consta que ela comprou um revólver calibre 38 pouco antes de ir à clínica. Além disso, também há o registro de um bilhete em que a secretária do médico, Andressa Wagner, entregaria ao patrão, alertando sobre a chegada de Odilaine. O processo conta com depoimentos de testemunhas que estavam na sala de espera no dia da morte e com documentos referentes a uma possível divisão da pensão a ser paga após o processo de separação do casal.

Já a defesa da família Uglione alega que houve falhas na investigação da morte da mãe de Bernardo, entre as principais, estão divergências quanto ao exato local da lesão no crânio de Odilaine; existência de lesões no antebraço direito e lábio inferior da vítima; lesões em Leandro Boldrini; vestígios de pólvora na mão esquerda da vítima, que era destra; ausência de exame pericial em Boldrini, uma carta fraudada supostamente deixada pela mãe de Bernardo e a própria morte do garoto, que configuraria um fato novo.

Entenda o Caso Bernardo
Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, em Três Passos. Dez dias depois, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico, enterrado às margens de um rio. Foram presos o médico Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini e uma terceira pessoa, identificada como Edelvânia Wirganovicz. Evandro Wirganovicz, irmão de Edilvânia, também foi preso acusado de participar da ocultação do cadáver. Os quatro foram indiciados e irão a julgamento.


Fonte: site Três Passos News
Postado por Lucas Mumbach


Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter