Caps de Três de Maio realizou arraiá junino


Esta semana foi especial para a equipe e pacientes atendidos pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Mundo Melhor. Embalados ao som de músicas tradicionais, ocorreu na terça, quarta e quinta-feira, a Festa de São João do CAPS, com muita animação e quitutes juninos.
De acordo com a psicóloga do Centro, Juliana Trevisan, a equipe do CAPS organiza todo o ano a tradicional festa junina, que além de ser um momento festivo para os pacientes, tem o foco no acompanhamento terapêutico. "As nossas ações no CAPS são voltadas para a busca de um trabalho humanizado. Por exemplo, na festa junina deste ano, buscamos unir a simbologia da festa com o tratamento terapêutico dos pacientes através da participação das estagiárias de psicologia da Setrem. Não foi uma festa por si, ela tem um significado e um foco especial, buscando desenvolver práticas relacionadas ao crescimento pessoal dos pacientes de forma ilustrativa e reflexiva, com enfoque na singularidade", explica.
O CAPS atua no município desde agosto de 2013, e é uma referência para tratamento de saúde mental e de uso de substâncias psicoativas. Atualmente, o Centro conta com mais de 300 pacientes cadastrados e acompanhados, sendo que aproximadamente 210 pacientes frequentam o local toda a semana, participando de oficinas e de atendimentos individuais e em grupo.
Conforme a psicóloga Juliana, a triagem dos pacientes inicia na unidade da Estratégia de Saúda da Família (ESF). "A família agenda uma consulta para o paciente na sua ESF pertencente e após, realiza uma avaliação com enfermeira (o) e/ou médico. Em seguida, se houver enquadramento do perfil CAPS, o mesmo é encaminhado até o Centro. Ao chegar aqui, é assistido pela equipe, normalmente através das áreas de enfermagem, serviço social, psicologia e medicina. Antes de ser inserido em um determinado grupo terapêutico, o paciente passa por uma avaliação interdisciplinar", informa.
A profissional destaca que todos os grupos têm atendimento, inclusive, ao familiar que vem em busca de informações técnicas do tratamento. "Oferecemos este suporte à família, possibilitando uma melhor compreensão da patologia do paciente, como esclarecimentos e medidas" aponta.  Destacando também, que ocorre semanalmente o grupo de família. 
 
 Atualmente, sete grupos recebem atendimento no CAPS. São eles:
 
Terças-feiras
Manhã: Grupo de etilistas, reunindo acerca de 30 pessoas, com faixa etária entre 28 a 80 anos. Patologia: alcoolismo. 
Ocorre também no mesmo horário o grupo de família com cerca de 15 a 20 familiares.
 
Tarde: Grupo feminino, de 18 a 25 mulheres, de 20 a 65 anos. Patologia s: depressão, transtorno bipolar e alguns casos de esquizofrenia.
 
Quarta-feira
 
Manhã: Grupo com uso de substâncias psicoativas, faixa etária entre 18 a 40 anos, maioria homens, em torno de 10 pacientes participantes ativos semanal. Patologia: dependência em drogas. Ocorre também no mesmo horário, o grupo de família com cerca de 10 familiares.
 
Tarde: Grupo de mulheres, com cerca de 15 a 20 mulheres, na faixa etária de 30 a 60 anos. Patologias: depressão e transtorno bipolar. 
 
Quinta-feira 
Manhã: Grupo denominado saúde mental. Cerca de 30 a 40 pacientes, com faixa etária entre 27 a 70 anos. Patologias: psicoses, autismo, transtorno bipolar, depressão, esquizofrenia, déficit cognitivo, entre outras.

Aplicativo

Para instalar no Android, ative a opção para instalação de aplicativos de fontes desconhecidas.

Os aplicativos são disponibilizados por CICLANOHOST


Facebook


Twitter